Herakleion: Museu Arqueológico e Knossos + Mito do Minotauro

Quem é apaixonado por história e mitologia levanta a mão!!! Pois é, eu também sou e uns dos lugares mais bacanas que visitei foi em Creta: o Museu Arqueológico de Herakleion e o Sítio Arqueológico de Knossos .

Trata-se de duas atrações ricas em artefatos e ruínas minóicas que me levaram em uma aventura incrível ao mundo mitológico e fantasmagórico do Minotauro. Vem comigo nessa viagem!

Posa pra foto, migo :p

O Mito do Minotauro


Vamos começar a história no momento onde Pasiphae, esposa do Rei Minos, se apaixona por um touro (isso mesmo), como castigo do deus Poseidon.

Pesiphae e o touro (foto: destinationcrete.gr)

• • • • • • • • • •

Para que Minos se tornasse rei, ele deveria sacrificar um touro dos mares enviado por Poseidon como oferenda ao seu pedido pelo trono (ele queria “roubar” o trono do irmão).

Porém, Minos ficou tão encantado com a beleza do touro branco que sacrificou outro touro esperando que o deus não percebesse isso.

Poseidon, bem vingativo, fez com que a esposa de Minos – Pasiphae – se apaixonasse pelo touro, como punição. A rainha, cega de paixão, pediu a Dédalo que construisse uma vaca de madeira na qual ela pudesse se esconder, de modo a copular com o touro branco (sim, bizarro).

Assim, nasceu o Minotauro, à imagem e semelhança desta união: com a cabeça de touro em um corpo humano.

O Minotauro (foto: destinationcrete.gr)

Para poder continuar vivendo no palácio, Asterion (seu nome original) deveria viver pra sempre em uma “prisão” – um labirinto construído por Dédalo a pedido do Rei Minos.

• • • • • • • • • •

A segunda parte da história começa quando um dos filhos de Minos, Androgeo, foi a Atenas para participar dos jogos olímpicos. Ele foi o primeiro em todos os eventos, causando inveja do Rei de Atenas, Egeu – que armou uma emboscada para matar Androgeo.

Assim que Minos soube da morte de seu filho, ele atacou Atenas, saiu vitorioso e exigiu que a cada nove anos fossem enviados os 7 melhores rapazes e moças atenienses para o banquete do Minotauro, como sacrifício.

No envio do terceiro sacrifício, o filho do Rei Egeu, Teseu, se ofereceu para assassinar o monstro e prometeu a seu pai que se ele saísse vivo, o navio no qual retornaria para casa teria velas brancas erguidas.

Ariadne – filha de Minos – se apaixona por Teseu e da-lhe um novelo para facilitar seu deslocamento pelo labirinto e encontrar o caminho para a saída. Teseu então mata o Minotauro com a espada de seu pai e lidera os outros atenienses para fora do labirinto.

Teseu e o Minotauro no labirinto (foto: destinationcrete.gr)

Na viagem de volta, no entanto, ele se esquece de erguer as velas brancas e seu pai, ao ver o navio e imaginar que Teseu estava morto, se suicida, atirando-se ao mar.

Muita gente não sabe mas assim foi dado origem ao nome do Mar Egeu.

Knossos


O palácio minóico é a principal área de visitas de Knossos, uma cidade de grande importancia na  formação da civilização antiga.

Construído na colina de Kefalas, possui fácil acesso ao mar, mas também ao interior de Creta.

Palácio de Minos

As ruínas de Knossos foram descobertas em 1878 por Minos Kalokairinos, comerciante e antiquário cretense.

Mas foi somente em 1900 que o arqueólogo Arthur Evans, um cavalheiro inglês, conseguiu comprar todo o site e realizar escavações maciças descobrindo e restaurando todo o palácio minóico.

Knossos era um complexo com mais de 1000 salas interligadas, algumas das quais serviram como salas de artesanato e centros de produção de alimentos, depósitos de armazenamento, centro religioso e administrativo.

Os vestígios de habitação mais antigos na área do palácio datam a Era Neolítica (7000-3000 aC) que se estendeu até o período pré-romano (3000-1900 aC).

Com o decorrer dos anos o palácio foi destruído e reconstruído diversas vezes tomando a forma “atual” de quando foi descoberto. Sobrevivendo a diversas épocas, impérios e desastres naturais.

O palácio tinha muitos andares e uma variedade enorme de materiais utilizados, como argamassa colorida, ornamentos e impressionantes pinturas que decoram as paredes das salas e corredores.

Museu Arqueológico de Heraklion


O Museu Arqueológico de Heraklion é um dos maiores e mais notáveis ​​museus da Grécia e um dos mais importantes da Europa. Suas exposições incluem amostras representativas de todos os períodos da pré-história e da história de Creta, cobrindo um período de sete milênios – do período neolítico (7000 aC) até a época romana (século III dC).

O Disco de Festo é um dos maiores mistérios da arqueologia por ter o propósito da criação e o significado da escrita ainda não descobertos

Suas coleções são obras-primas únicas da arte minóica e a sua coleção de antiguidades minoanas é a mais importante do mundo –  considerado justamente, o museu referência da civilização minoica.

Localizado no centro de Herakleion, foi fundado em 1908 para abrigar as primeiras coleções de antiguidades cretenses que desde então foram enriquecidas em um ritmo acelerado.

Recipiente (usado na armazenagem de óleos aromáticos) no qual retrata-se o mito do Minotauro
Moedas da Era Minóica
Estatuetas eróticas, de koyrotrofos*, de partos – como auxílio às grávidas, de bebês no berço e de grávidas.

*Kourotrophos, durante a antiguidade era o “apelido” dado aos deuses protetores dos bebês. Entre os deuses que foram chamados por este “apelido” estão Hera, Athena, Apollo, Hermes, Afrodite, e.o. – sendo, geralmente representados com um bebê em seus braços.

Os materiais de coloração e de construção, bem como as entradas de mármore coloridas são imitações dos edifícios minoenses. O prédio possui dois andares e amplos espaços de exposições, uma sala audiovisual e oficinas.

A exposição começa no piso térreo com a coleção Minoan (salões III-XII), continua no 1o andar com os afrescos de Minoan (salões XII XIII) e os tempos históricos (salões XV-XXII) e é concluído no piso térreo com a coleção de esculturas (salões XXVI-XXVII).

Partes retiradas da pintura das paredes da Sala do Trono do Palácio de Minoan
as rochas em relevo cortadas em colunas pertenciam à decoração monumental da grande sala oriental do palácio dos Knossos

Em uma seção separada, no primeiro andar, estão as coleções particulares de St. Yamalaki e N.TH. Metaxa (salões XXIII), bem como a ressonância do passado minoano de Creta nos tempos antigos e modernos (salões XIV, XXV).

Coleção de estatutetas com as mãos levantadas em louvor encontradas no Santuário de Kania Gortina

 

Restos mortais guardados em um pithos – jarro de barro utilizado para o armazenamento de alimentos secos ou líquidos
24
Deusa das serpentes* – as duas famosas estátuas que retratam a deusa minóica das serpentes.

*A menor representa a deusa com os braços levantados, segurando uma cobra em cada mão. Ela usa um um vestido longo, deixando os seios descobertos e carregando sobre a cabeça uma pantera. A estatueta foi encontrada em Knossos juntamente com a segunda – a deusa das deusas – e muitos outros itens valiosos.

O Museu, organiza exposições periódicas, participa de exposições de promoção do turismo na Grécia e no exterior, colabora com outras instituições científicas e de pesquisa e organiza várias outras atividades culturais.

• • • • • • • • • •

Tanto o Sítio Arqueológico de Knossos quanto o Museu Arqueológico de Herakleion são atrações fantásticas que me levaram a uma verdadeira viagem no tempo. Sua riqueza em detalhes e o ótimo estado de conservação, além da imensa variedade de artefatos foram as razões de eu ter apreciado tanto essas duas visistas.

Pinterest

 

 

 

Anúncios

Deixe seu comentário :-)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s