A hora da refeição é uma hora sagrada

Acho que não encontraria imagem melhor para representar essa categoria (essa foi tirada em um vilarejo de Creta – Apodoulou, essa aventura vou deixar pra outro post) porque grego quando se junta pra comer é um vuco-vuco, isso mesmo! É mão daqui, braço dali, fulano falando, ciclano gritando, a giagia (avó) contando histórias, risadas, arrotos (isso mesmo arrotos) mas é um dos meus momentos favoritos.

Primeiro pelo fato de COMER, que eu amo, e depois pela diversão que é. A alimentaçao grega é muito diferente da nossa, é uma alimentação mediterrânea rica em azeites – óleos em geral mas principalmente o de gergelim, verduras e legumes cozidos, frutas, leguminosas, muita carne – em destaque as de carneiro, de frango e porco, queijos, frutos do mar e muito PÃO – grego não come sem pão, em hipótese alguma, “apoklietai!” (de jeito nenhum)

Os doces então, pra falar a verdade não são meu favoritos, mas eu também como, claro! São, a maioria de origem turca e têm como característica serem regados com calda. Pra quem ama doce é o que há de melhor!

Entre as bebidas temos o Uzo (Όυζο – uma bebida alcoolica feita com base no anis, é transparente e incolor e geralmente consumida misturada com água ou gelo devido ao seu teor alcoólico, ficando de uma cor azulada e meio leitosa), o Tsipouro (Τσίπουρο – uma bebida que tem como matéria-prima o bagaço das uvas utilizadas para a produção de vinho, em Creta é chamado de Raki), a Retsina (Ρετσίνα – um vinho branco com um sabor diferenciado e originado a partir da prática de selar os vasos de vinho com resina de pinheiro de Alepo em tempos antigos) além de muitos vinhos.

Sem falar no café que é a paixão dos gregos. Há cafeterias espalhadas por todos os cantos, é impossivel passar por uma rua que não tenha pelo menos uma cafeteria. Os mais consumidos de todos, pois sim, existem inúmeras formas de beber café por aqui, mas os mais polpulares são o café grego (Ελληνικός Καφες) e o Frapé (Φραπές).

Restaurantes são raros de encontrar, são mais comuns as tabernas (ταβέρνα). Pra mim foi facim, facim se adaptar, ja que sou amante da comida, mas alguns estrangeiros que sentem dificuldade na adaptação passam por uns bucados pois é dificil encontrar comidas estrangeiras por aqui. O jeito é se virar com pizzas, burgueres ou cozinhar em casa mesmo!

Anúncios

2 Respostas para “A hora da refeição é uma hora sagrada”

Deixe seu comentário :-)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

HTML básico é permitido. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine este feed de comentários via RSS

%d blogueiros gostam disto: